Trabalhos 2021

Escola Secundária Jerónimo Emiliano de Andrade (Angra do Heroísmo)

Escalão:  

Memória Descritiva:
Para responder ao desafio “O mar começa aqui”, apresenta-se um desenho composto por três etapas diretamente interligadas, sendo apresentado no centro da imagem o mar e a sarjeta.
A imagem pretende sensibilizar toda a comunidade escolar para a temática da poluição dos oceanos, bem como as consequências que daí advêm.
A ideia que originou a imagem apresentada teve como ponto de partida o mote “Poluir o oceano é envenenar a nossa alimentação”, e pretende alertar para o facto de que as nossas ações têm consequências que vão muito além daquilo que pensamos.
Para concretizar a ideia, o desenho foi subdividido em 3 partes:
- Na 1ª parte, representa-se aquilo que, além da água pluvial, pode infelizmente entrar pelas sarjetas: beatas de cigarro, cotonetes, papeis/plásticos de rebuçados, entre outros.
- Na 2ª parte, usou-se a sarjeta como ponto central, decorada de forma a representar o oceano, a vida marinha e os resíduos que por vezes são encontrados. Como representantes da vida marinha, escolheram-se moluscos (polvo e choco), crustáceos (caranguejo) e peixes (sardinha) – que representam alguns dos mais pescados nas águas portuguesas.
Para ilustrar os resíduos à deriva no mar, escolheram-se as palhinhas de plástico, as garrafas de água e as cada vez mais frequentes, máscaras cirúrgicas.
- Na 3ª parte, apresenta-se uma refeição, onde é visível a contaminação do peixe por microplásticos, ingeridos na sua tentativa de se alimentar e que acabarão ingeridos por nós próprios.
A imagem apresentada teve em conta a dimensão real de uma das sarjetas localizadas na envolvência da escola.

Frase que apele ao correto encaminhamento e separação de embalagens:
EB1/JI de Azagães, Agrupamento de Escolas de Fajões
Professora/Coordenadora: Rosário Oliveira e Ana Paula Moreira
17 crianças do Pré-escolar, Idades: 3, 4 e 5 anos
São cada vez mais frequentes as notícias que nos dão conta da quantidade de plástico e outros resíduos que andam à deriva no mar, com consequências devastadoras em todo o ecossistema marinho.
Todos nos lembramos de notícias de grandes mamíferos que deram à costa com o estômago cheio de plástico, no entanto não são só estes animais que ingerem estes resíduos que estão espalhados pelo oceano. Todos os animais marinhos acabam por o ingerir, e consequentemente nós também!
A imagem apresentada pretende chamar a atenção para o facto das nossas ações mais quotidianas terem um impacto real em todo o ecossistema, e que não é pelo facto da sarjeta que temos ali ao lado estar longe do mar, que os pequenos lixos não vão lá chegar. Aliás, eles acabarão por chegar ao nosso próprio prato! Vários estudos referem que em 2050 haverá mais plástico nos oceanos do que peixe. Poluir o oceano é "envenenar" a nossa alimentação! Está nas nossas mãos quebrar este ciclo.
Síntese das várias fases do projeto:
1º ponto - despertar para este problema e sensibilizar para a causa;
2º ponto - pensar quais os elementos que devem ser incluídos na pintura artística e a forma como se devem "encaixar" na sarjeta ou à sua volta;
3º ponto - criar estratégias lúdicas/educativas, envolvendo as crianças e a comunidade educativa envolvente, sensibilizando e educando para novas práticas ambientais a adotar na abordagem desta temática.

Imagem do Ecoponto:

INICIATIVA

stamp_rgb_pt_small 

COORDENAÇÃO

LOGOabaeEE2_png